Trabalhando o socioemocional no dia a dia do currículo letivo

por | 14 fev, 2020

Leitura: 4 minutos 

As competências do século XXI podem ser aprimoradas em todas as aulas. 

Quando falamos sobre a importância do desenvolvimento das habilidades socioemocionais na escola, pode parecer que essa deve virar uma outra disciplina a ser ensinada, além de aulas de matemática e geografia. Na verdade, ao contrário, essas habilidades podem ser muito melhor trabalhadas no dia a dia, quando a atenção a elas está inserida na rotina já existente.

O desenvolvimento de habilidades socioemocionais em sala de aula, impacta positivamente tanto alunos quanto famílias, propiciando uma ambiente saudável em toda a comunidade escolar. Com um bom ponto de partida e um trabalho estruturado, não é tão difícil abrir caminho para que essas competências sejam trabalhadas de forma natural em todas as aulas e o modelo desenvolvido pelo VOA educação auxilia a equipe docente a observar o desenvolvimento de cada habilidade e a traçar o caminho deste trabalho no cotidiano na sala de aula.

Para auxiliar professores, publicamos em nosso blog, um e-book sobre cada uma das competências. Esses e-books contam com depoimentos de muitos professores e pedagogos falando de suas experiências de trabalho. No texto de hoje, vamos dar algumas dicas mais gerais.

 

Um ambiente de trocas e descobertas é sempre mais interessante para os alunos

Os alunos ficam mais dispostos e atentos a aprender o conteúdo quando o ambiente é acolhedor e propicia um bom relacionamento com seus professores e seus pares. Um professor deve se mostrar disposto a conhecer e entender seus alunos, bem como incentivar que eles se conheçam e se entendam entre eles.

Escolha alguns momentos de sua aula para ouvir os alunos. Mostre que o conhecimento e a bagagem que eles têm também é importante. Incentive trocas entre eles, formando duplas ou grupos e deixe sempre claro que a aquisição de conhecimento é um trabalho de todos. A dinâmica escolar funciona melhor quando os alunos se sentem integrados e responsáveis pelo próprio aprendizado. Incentive a autonomia na turma, permitindo que eles escolham temáticas a serem estudadas dentro do conteúdo e propondo novos formatos na hora de realizar algum trabalho ou atividade avaliativa.

 

Os interesses que os alunos já têm podem facilitar o envolvimento com a aula

Não, nós não estamos dizendo que se os alunos não têm interesse em física é melhor pular essa disciplina. O que indicamos é fazer o possível para estruturar as aulas de forma que isso inclua interesses que os alunos já têm! O envolvimento do conteúdo programático com o mundo deles faz com que se disponham muito mais ao aprendizado.

Na hora de trabalhar o conteúdo, faça o possível para envolvê-los naquilo, seja escolhendo exemplos práticos que tenham mais a ver com o que eles vivenciam e curtem, seja experimentando aplicar trabalhos diferentes do convencional e que sejam capazes de unir o conteúdo com habilidades que eles já tem.

 

Desenvolvimento socioemocional e aprendizado caminham juntos.

Na hora de fazer o planejamento, pense em aulas que fujam do padrão do professor expondo o conteúdo e os alunos sentados absorvendo. Para treinar o socioemocional, os alunos precisam interagir e se relacionar – tanto com o conteúdo que está sendo ensinado quanto com os professores e seus pares.

Dinâmicas, jogos, debates e trabalhos em grupo podem funcionar para todas as disciplinas, deixam o cotidiano mais leve e têm a capacidade de integrar e estimular os alunos. Os alunos, assim, são estimulados a criar diferentes relacionamentos, trabalhar empatia, melhorar a comunicação, desenvolver estratégias e toda uma ampla gama de outras competências.